Quando a gente fala em Minas Gerais, a gente logo pensa em comida boa e em destinos cheios de história pra contar, não é? Pois a capital mineira segue a mesma linha. Por isso, a gente selecionou algumas dicas porretas de o que fazer em Belo Horizonte e arredores. Se prepara, pois nossa listinha inclui os principais cartões-postais!

Pontos turísticos de Minas Gerais em 6 destinos imperdíveis
24 horas em Belo Horizonte

Caso esteja planejando sua primeira visita à cidade, ótimo, porque este post pode ajudá-lo a decidir o que fazer, especialmente se o tempo for curto. Mas, se você já teve a chance de conhecer a região, não desanima, não, e conta pra gente nos comentários como foi! Assim você nos ajuda a enriquecer este conteúdo e, de quebra, pode esclarecer as dúvidas de outro(a) viajante.

Ah, um ponto importante: embora a maioria dos lugares esteja aberta, alguns points podem estar fechados temporariamente devido à pandemia. Logo, confirme antes se os pontos que você deseja visitar estão funcionando normalmente, combinado?

5 dicas de o que fazer em Belo Horizonte e arredores

1. Visitar o Instituto Inhotim

Inhotim - Brumadinho | Crédito: Shutterstock

Inhotim – Brumadinho – Minas Gerais | Crédito: Shutterstock

Quando a gente mescla arte e natureza você sabe qual é o resultado? Pois então anote aí: o Instituto Inhotim. Idealizado pelo empresário mineiro Bernardo de Mello Paz, o local foi aberto na década de 1980 e reúne um extenso acervo com obras, pinturas, esculturas, desenhos, fotografias e vídeos, entre outros itens. São mais de 20 galerias de arte situadas em jardins muito bonitos, que ocupam uma área de 20 km².

Como tem bastante coisa para ver – e pode acreditar que todas elas valem a pena -, dificilmente você conseguirá fazer tudo em único dia. Dito isto, vale dizer que o ideal é reservar pelo menos dois dias para explorar o lugar. Isso porque há três rotas que podem ser feitas – a pé ou com o apoio de carrinhos elétricos – e porque certamente você vai querer parar para apreciar a paisagem e fazer muitas fotos. Uma dica, inclusive, é curtir um final de tarde nos gramados, à beira de um dos muitos lagos que fazem parte do Instituto, assim como tomar um cafezinho em uma das lanchonetes espalhadas pelo lugar.

OK, OK, a gente sabe: o Inhotim não fica em Belo Horizonte, mas sim em Brumadinho, a cerca de 60 km de distância. De toda forma, o point ajuda a complementar a experiência de quem vai pra BH e é uma ótima sugestão pra quem estiver de carro, por exemplo, e não estiver com o relógio muito apertado.

2. Circular pelo bairro da Pampulha

Crédito: Marcelo Rosa

Complexo da Pampulha – Belo Horizonte – Minas Gerais | Crédito: Marcelo Rosa

Tá a fim de contemplar magníficas obras arquitetônicas? Então este é o lugar, já que ele reúne obras que são frutos do incansável trabalho de Oscar Niemeyer. Todo o complexo foi criado com o objetivo de se tornar referência para a arquitetura brasileira. E assim aconteceu. Quem circula por ali consegue admirar os mais variados edifícios nos arredores da lagoa, entre eles a Casa do Baile, o Iate Tênis Clube e o Museu de Arte da Pampulha.

12 cartões-postais mais famosos do Brasil: quantos você já conhece?

Entretanto, o destaque vai para o ícone da capital mineira, a Igreja São Francisco de Assis. Ela combina a notável arquitetura de Niemeyer com a delicadeza e a sensibilidade das pinturas de Candido Portinari. Já pensou? Tudo fica ainda mais charmoso com as obras de Alfredo Ceschiatti, August Zamoyski, Paulo Werneck, José Alves Pedrosa e do paisagista Roberto Burle Marx. Em outras palavras, se você está definindo o que fazer em Belo Horizonte, não tem como deixar um passeio pela Pampulha de fora.

3. Curtir a vibe da Praça da Liberdade

Crédito: Clarissa Pacheco

Praça da Liberdade – Belo Horizonte – Minas Gerais | Crédito: Clarissa Pacheco

Antes de qualquer coisa, vamos aos fatos: a Praça da Liberdade foi inspirada no imponente Palácio de Versalhes, na França. Só isso já dá uma ideia de como o lugar é bonito, certo? Certíssimo! O local é apaixonante, sobretudo por conta dos seus belos jardins decorados com fontes. Sua construção remonta ao período entre 1895 e 1897 e teve como objetivo abrigar a sede do poder mineiro.

Rodeada por prédios como o Museu das Minas e do Metal, o Memorial Minas Gerais Vale e o Palácio da Liberdade, ela é considerada um dos maiores centros culturais do Brasil e é sede de um importante circuito cultural. Tanto que, em 1977, foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG).

Durante a sua viagem, que tal fazer uma caminhada por ali no final da tarde ou, então, ver os astros por meio do telescópio do planetário do Espaço Tim UFMG? Só confirme antes se o planetário está funcionando, OK? No momento, por conta da pandemia, ele está fechado temporariamente.

4. Conhecer o Mercado Central (e comer muito!)

Belo Horizonte - Minas Gerais | Crédito: Divulgação / Embratur

Belo Horizonte – Minas Gerais | Crédito: Divulgação / Embratur

Feijão tropeiro, tutu, galinhada, queijo, goiabada, doce de leite, cachaça e muitos outros sabores da variada culinária belo-horizontina são atrativos imperdíveis para os turistas. Neste sentido, o Mercado Central é parada obrigatória para quem quer provar esses deliciosos quitutes e para embarcar em uma jornada em meio aos temperos mineiros. Em funcionamento há mais de 80 anos, são mais de 400 lojas que ofertam alimentos, bebidas, artesanatos e objetos tradicionais da cultura do estado.

Dica: se você se amarra em experimentar coisas novas, dê uma chance ao fígado com jiló, uma iguaria mineira clássica que pode ser encontrada no Mercado Central.

5. Dar um giro pelos museus de Belo Horizonte

Tabela Periódica - Museu das Minas e do Metal - Belo Horizonte | Crédito: Jomar Bragança

Tabela Periódica – Museu das Minas e do Metal – Belo Horizonte | Crédito: Jomar Bragança

Levanta a mão quem adora visitar um museu durante uma viagem! Pois aqui vão mais algumas opções para incluir na sua lista de o que fazer em Belo Horizonte. Em primeiro lugar, vale a pena conhecer o Museu de Artes e Ofícios. O nome já entrega tudo: ele exibe instrumentos de trabalho de diversas profissões existentes entre os séculos 18 e 20, incluindo sapateiros, garimpeiros, marceneiros… Além disso, ele traz consigo um diferencial bem bacana: é o primeiro empreendimento do Brasil dedicado 100% ao tema do trabalho e dos ofícios. De quebra, apresenta um projeto arquitetônico muito bonito. O tour é muito interessante.

Ao mesmo tempo, o Museu Histórico Abílio Barreto não decepciona, ainda mais aos fãs de história. Seu objetivo é perpetuar a história de Belo Horizonte por meio de exposições e atividades culturais e educativas. Para mergulhar ainda mais os visitantes nesta volta ao passado, o museu fica dentro de um casarão de 1883 muito bem preservado. Já o Museu das Minas e do Metal conta a história da mineração e da metalurgia de uma forma bem lúdica. No total, são 18 salas e 45 exposições. O museu fica no Prédio Rosa, na Praça de Liberdade (conforme já mencionamos), de 1897, e combina os estilos neoclássico e art nouveau. Ou seja: cair de amores pela sua arquitetura faz parte do passeio;

Estrada Real: veja quais cidades visitar e viaje de volta ao Brasil Colônia

E aí, o que achou das nossas dicas de o que fazer em Belo Horizonte? Se animou a visitar a cidade mineira? Então consulte um(a) agente de viagens, uma vez que, assim, você garante um passeio tranquilo do início ao fim.

Fonte segueviagem.com.br

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *