“Foi uma temporada incrível, não só essa corrida”, analisou o holandês Max Verstappen (Red Bull) após ter conquistado seu primeiro título mundial de Fórmula 1 na última volta do último Grande Prêmio, neste domingo, em Abu Dhabi.

“Tivemos momentos difíceis, mas isso faz parte da luta pelo título”, disse ele sobre seu grande rival, o britânico Lewis Hamilton, cuja equipe da Mercedes submeteu, sem sucesso, duas reivindicações sobre o resultado da corrida.

Confira as declarações do campeão

P: Como avaliar esta corrida?

R: “Frenética! No início nos faltava claramente o ritmo. Tentei segui-lo (Lewis Hamilton, seu adversário pelo título, que estava na frente) o máximo que pude, mas não tínhamos ritmo. Nossa largada não foi muito boa. É bem difícil, ele estava um pouco isolado. Mais tarde, Checo (Pérez, seu companheiro de equipe) fez um trabalho muito bom tentando manter Lewis atrás dele (após uma passagem do britânico pelos boxes) e a distância foi reduzida. Mas Lewis o ultrapassou e se afastou de novo. Tentamos algo diferente (trocar os pneus) durante o ‘safety car’ virtual, mas não deu certo, ainda não tínhamos ritmo. E aí tudo ficou louco no final, com o ‘safety car’ e depois o reinício. (…) É verdade que parecia complicado em alguns momentos, não via oportunidade de mudar o rumo das coisas. Mas o safety car nos ofereceu um pit stop adicional e aproveitamos a oportunidade para mudar para pneus mais macios, e com isso a última volta foi simplesmente incrível. Tive mais aderência (do que Hamilton), mas tivemos que fazer o que fizemos. (…) Além disso, tive uma cãibra enorme em uma perna. Mas na última volta, era preciso cerrar os dentes. Depois, foram apenas emoções alucinantes”.

P: Você está começando a digerir essas emoções?

R: “Aos poucos. Foi uma temporada incrível, não só essa corrida. Disputas incríveis… Antes de começar a temporada eu tinha a sensação de que poderíamos ter chances melhores do que as perdidas nos últimos anos, mas estar aí no final, foi uma conquista incrível. (…) O passado volta à minha cabeça, principalmente as viagens pela Europa com meu pai (na época do kart). Tínhamos um primeiro objetivo: chegar até a Fórmula 1, esperar vencer uma corrida e ouvir o hino nacional. Mas depois, é verdade, o objetivo final era o título mundial, algo que é muito difícil de conquistar. Agora que chegou é uma loucura. E ter meus entes queridos, minha família, meus amigos, meu pai, meu empresário, minha namorada, todos aqui, torna as coisas mais especiais”.

P: Sua rivalidade com Lewis Hamilton tem sido excepcional. O que você retém dela?

R: “De um modo geral, gostei muito. Tivemos momentos difíceis, mas isso faz parte da luta pelo título (…) e agora que a temporada acabou, vamos poder relaxar um pouco. Foi tensa como competição. Em cada corrida, ou quase, nós levamos nosso rival ao limite, mutuamente. Eu acho que foi bonito de ver”.

Deixe seu comentário

Fonte gazetaesportiva.com

Recommended Posts