Como abrir um MEI e empreender no turismo; tire todas as suas dúvidas

Se alguma vez você já se perguntou como abrir uma empresa para empreender no mundo do turismo, este post foi feito pra você! A fim de dar uma forcinha nessa jornada da sua vida profissional, separamos aqui tudo o que você precisa saber para se registrar como MEI. Afinal, assim você aumenta a sua credibilidade com os clientes, bem como adiciona uma série de benefícios à sua empresa. Vem ver!

Para começar: o que é o MEI?

Crédito editorial: Brenda Rocha - Blossom / Shutterstock.com

Tá a fim de se tornar agente de viagens? Então saiba como o MEI funciona | Crédito editorial: Brenda Rocha – Blossom / Shutterstock.com

Bom, antes de tudo, que tal aprender o significado da sigla MEI? Microempreendedor Individual, essa modalidade de registro de CNPJ formaliza os pequenos empresários individuais que apresentam os seguintes requisitos: possuem faturamento de até R$ 81 mil por ano​; não são sócios ou titulares de outra empresa​; atuam sozinhos ou têm no máximo um empregado; e exercem uma das atividades permitidas ao MEI, segundo a Resolução CGSN nº 140, de 2018. E isso inclui atuar como agente de viagens!

Ah! Outra vantagem é que quem trabalha com carteira assinada não está impedido de realizar inscrição para se tornar um Microempreendedor Individual. Ou seja, você pode ter o seu emprego e ainda assim se aventurar pelo mundo das viagens. Legal, né?

Como eu faço para abrir um MEI?

Mei

O processo é bem tranquilo, mas você precisa ter alguns documentos em mãos | Crédito: Shutterstock

Se você se enquadra nos requisitos citados acima, agora é necessário verificar a viabilidade de seu negócio com a prefeitura e se cadastrar no portal de serviços  do governo. Por fim, o próximo passo é acessar o site do Portal do Empreendedor e informar sua conta criada na etapa anterior, assim como preencher o formulário de inscrição. Para isso, você precisará de alguns documentos, portanto anote aí:

  • RG, CPF e Título de Eleitor;
  • Comprovante de endereço da empresa e da residência;
  • Número da declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física (caso tenha declarado nos últimos dois anos);
  • Consulta prévia de localização aprovada (desde que isso seja uma exigência do município).

On-line e gratuito, depois de finalizar essa etapa as inscrições na Junta Comercial, CNPJ e INSS serão realizadas de forma automática. Elas podem ser comprovadas com o Certificado da Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI), emitido ao final do processo de inscrição.

Mas quanto custa?

Enquadrado no Simples Nacional, o MEI tem uma carga tributária reduzida. Após a formalização e o cadastramento você terá de pagar todos os meses o carnê DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Com valores que variam de acordo com a atividade – chegando no máximo a R$60 –, esse dinheiro vai para a Previdência Social e para diversos tributos.

POR ÚLTIMO: FIQUE POR DENTRO DAS VANTAGENS

MEI

Crédito: Shutterstock

Além de ser o seu grande aliado no mundo dos negócios, o MEI também traz muitas vantagens para quem o escolhe, sabia? Sim, é isso mesmo! São elas: cobertura do INSS; emissão de Nota Fiscal Eletrônica; imposto fixo e barato; conta bancária empresarial; facilidade para empréstimo e venda facilitada por meio de cartões de crédito utilizando as maquininhas. Para coroar, quem é MEI não precisa ter um contador.

Agora fala pra gente: você já conhecia o MEI? Já utiliza esse tipo de registro? Então compartilhe sua experiência nos comentários! Dessa forma você acaba ajudando outras pessoas 😉

Fonte segueviagem.com.br

Resorts: lazer e diversão em tempo integral

Resorts: lazer e diversão em tempo integral | Crédito: Shutterstock

Resorts: lazer e diversão em tempo integral | Crédito: Shutterstock

Depois de definir o destino de viagem, o próximo passo envolve escolher um meio de hospedagem que atenda a todos os requisitos para que aquele merecido descanso, certo? Pensando nisso, que tal os resorts? Acredite, ele representam uma possibilidade e tanto, já que se destacam pelo atendimento personalizado, completa infraestrutura de lazer e pelas diversificadas opções de entretenimento, ou seja, é a garantia de uma viagem perfeita. Confira mais detalhes a seguir!

De carro pela Região Nordeste: Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco

QUAIS SÃO AS VANTAGENS DOS RESORTS?

resorts

Crédito: Shutterstock

Os resorts se diferenciam dos hotéis assim como das pousadas principalmente por disponibilizarem mais espaço, razão pela qual estão normalmente localizados fora dos centros urbanos – o que não significa, necessariamente, que estejam afastados de restaurantes e pontos turísticos. Muitos, ainda, ressaltam o fato de serem “pé na areia”, combinando, assim, facilidade de acesso e serviços de praia.

Ideais para pessoas de todas as idades, a maioria oferece um gigantesco leque de entretenimento como, por exemplo, piscinas, sala de jogos, quadras de diversos esportes s e fitness center. Inclusive, alguns incentivam a prática de atividades (aulas de surfe, stand up paddle, caiaque, hidroginástica, mergulho e dança) com o apoio de profissionais do próprio complexo.

Para as crianças, sempre há um amplo espaço para brincadeiras e áreas específicas para recreação, como Kids Club e parquinhos infantis. Enquanto eles se divertem, uma equipe especializada os acompanha de perto e garante o máximo de segurança.

A fim de intensificar os momentos de descontração, os resorts apostam cada vez mais nos serviços de spa, geralmente não inclusos no valor da diária. Normalmente posicionados em uma área mais reservada do estabelecimento, criam um ambiente mais que propício para a renovação física e espiritual, terapias, massagens e práticas de relaxamento, bem como depilação, limpeza de pele e demais procedimentos estéticos.

Na alta temporada, a programação pode ser ainda mais agitada: alguns complexos promovem shows e pequenas apresentações ao vivo para fomentar a cultura regional – outros vão ainda mais longe, apostando em espetáculos de mágica e de dança, por exemplo. frutos do mar.

O MENU, POR FAVOR!

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Boa parte desses empreendimentos é adepta do sistema all inclusive. Ou seja, o preço pago pelas diárias já inclui os gastos com alimentação: café da manhã, almoço, snacks, consumo do frigobar e jantar. Falando nisso, vale ressaltar que as instalações costumam incluir restaurantes maravilhosos e com cardápio diversificado. Em muitos casos há também bares na região da piscina ou quiosques na praia, de modo a garantir total comodidade aos clientes.

RESORTS: LUXO E NATUREZA NO MESMO LUGAR

resort

Crédito: Shutterstock

Por fim, o contato com a natureza é um requisito importante? Ótimo! Então, saiba que muitos resorts são rodeados por árvores – alguns dispõem de trilhas ecológicas – e frequentemente são o habitat de diversos animais silvestres. Intitulados ecoresorts, por lá é possível encontrar uma série de práticas que visam à preservação ambiental, como reciclagem, descarte responsável do lixo e uso consciente da água.

Fonte segueviagem.com.br

As baixas temperaturas da Serra Catarinense

No Sul do Brasil, entre montanhas e colinas, marcada por um frio intenso, a Serra Catarinense é uma ótima opção de destino – seja no inverno ou no verão. É claro que a estação mais fria do ano tem, ali, uma vantagem: além das baixas temperaturas, há também a possibilidade da neve dar as caras por ali. Em Urubici, São Joaquim, Bom Jardim da Serra e Lages, o verde e amarelo da vegetação desaparece em julho e, quando o frio muito intenso vem, os flocos de neve transformam a paisagem com o seu branco inconfundível. Se interessou? Então confira um pouco mais a seguir!

5 rotas pelo Brasil que podem ser feitas em quatro rodas
De carro pela Serra Gaúcha: saiba o que fazer em Gramado e Canela

UM TOUR PELA SERRA CATARINENSE

Urubici

Serra Catarinense

Cascata do Avencal – Urubici – Santa Catarina | Crédito: Shutterstock

A mais de 160 km de Florianópolis, Urubici costuma ser o ponto de partida para quem deseja se aventurar pela região serrana, já que, dali, é fácil partir em direção às outras cidades. Além disso, ali estão grandes atrativos naturais do Estado, ao todo são mais de 80 cachoeiras e cascatas em meio às araucárias, incluindo, por exemplo, a Cascata do Avencal que oferece a possibilidade de rapel em seu paredão, de onde a água cai a cem metros de altura. Agora, para os menos corajosos, dá para fazer uma trilha, a pé, na parte de baixo. Por fim, rapel também é a palavra de ordem no Véu da Noiva, cascata de mais de 60 metros formada por uma pedra arredondada.

E se a ideia é ficar no alto, nada melhor do que curtir a vista do topo do Morro da Igreja, o ponto mais alto da serra (1.882 metros) e de onde se pode contemplar a Serra Geral, cadeia de montanhas que começa no Paraguai e corta o estado catarinense. Além do panorama arrebatador, este é um dos locais em que a neve cai com mais frequência, então o frio é severo – em 1996, foram registrados ali -17,8°C, a menor temperatura da história brasileira.

São Joaquim

Serra Catarinense

São Joaquim – Santa Catarina | Crédito editorial: Nelson Antoine / Shutterstock.com

Já São Joaquim é um destino famoso pelas macieiras e pela temperatura baixíssima – ali o inverno começa em maio e, no verão, os termômetros giram em torno dos 17°. Aproveite a Exponeve, feira permanente de artesanato e produtos típicos da região, para comprar roupas de lã, doces e bebidas. No centro da cidade, não deixe de subir no Belvedere, a 1.450 metros de altura, de onde se vê grande parte da cidade e da vegetação. Nos arredores, vale conhecer a Igreja Matriz São Joaquim, na Praça João Ribeiro. E o Snow Valley, um parque ecológico com uma floresta serrana preservadíssima.

Bom Jardim da Serra

Serra do Rio do Rastro - Santa Catarina | Crédito: Shutterstock

Serra do Rio do Rastro – Santa Catarina | Crédito: Shutterstock

Seguindo viagem, Bom Jardim da Serra é emoldurada pela Serra do Rio do Rastro e por conta dos vários rios que nascem por ali, foi apelidada de “Capital das Águas”.  Cheia de vales, morros, colinas e montanhas que aparecem ao longo do trajeto, formando uma paisagem incrível, uma parada obrigatória é a Cascata da Barrinha, que fica às margens da rodovia e pode ser vista de perto após descer uma escadaria. Ou seja, é imperdivel!

Lages

Morro da Cruz - Lages - Santa Catarina | Crédito: Shutterstock

Morro da Cruz – Lages – Santa Catarina | Crédito: Shutterstock

Lages, por fim, é sede da Festa Nacional do Pinhão e um importante polo cultural e gastronômico de Santa Catarina. Andar por ali significa conhecer uma história marcada pela chegada dos bandeirantes e dos imigrantes gaúchos. Além das Guerras Farroupilha e do Contestado, basta uma caminhada para se deparar com inúmeros monumentos como, por exemplo, as esculturas “Os Imigrantes”, “Boi de Botas”, “O Tropeiro” e “Correia Pinto”. Além disso, vale a pena também conhecer o Morro da Cruz, de onde se tem uma ela vista da região.

Por último, o Adventure Park fica a 15 minutos do centro e tem estrutura para a prática de esportes radicais, entre eles, rapel, escalada, tirolesa, trekking, arvorismo kids, passeios de quadriciclo e o chamado punk jump, também conhecido como “pêndulo radical”.

E aí, você conhece algum desses lugares da Serra Catarinense? Conta pra gente! Por fim, não se esqueça: se for viajar, conte sempre com a ajuda de um agente de viagens 😉

Fonte segueviagem.com.br

São Paulo retorna à fase vermelha da quarentena na segunda (12)

João Dória, governador do estado de São Paulo

João Dória, governador do estado de São Paulo | Crédito: Divulgação Governo do Estado de São Paulo

O Estado de São Paulo retornará à fase vermelha no plano de combate à pandemia na próxima segunda-feira (12). A medida, anunciada pelo governado paulista, permanecerá em vigor, a princípio, até o dia 18 de abril.

Rio reabre comércio e restaurantes; praias ainda não

Com a decisão, o Estado deixa a fase emergencial que vigorava desde a primeira quinzena de março. Os representantes do governo, entretanto, ressaltaram que é uma fase vermelha mais restritiva.

Na prática, a mudança de etapa permite o retorno das atividades presenciais nas escolas das redes públicas e privadas, desde que autorizadas pelas prefeituras, além da volta de competições esportivas e da abertura de alguns serviços essenciais que estavam vetados.

Permanecem proibidos, contudo, as aglomerações em cultos religiosos presenciais. O toque de recolher vale das 20h às 5h. O plano também recomenda que as empresas sustentem o trabalho remoto e ainda exista o escalonamento de horários alternados para os setores de serviços, do comércio e da indústria.

O funcionamento de bares, restaurantes, academias e salões de beleza também seguem vetados.

Fonte: Panrotas

Fonte segueviagem.com.br

Por que visitar a Península de Maraú, na Bahia

Quando alguém fala em Nordeste a gente logo pensa em sol, mar convidativo e comida boa, certo? Pois essa também pode ser uma descrição e tanto da Península de Maraú, paraíso do litoral sul da Bahia. A maioria dos visitantes costuma ficar perto da vila de Barra Grande, já que oferece a melhor infraestrutura turística da região. No entanto, se você se amarra em praias desertas e em uma vibe mais rústica, não vai se decepcionar: a Praia de Algodões, por exemplo, se mantém bem reservada.

O acesso é um pouco difícil: afinal, chegar à chamada “Polinésia brasileira” envolve descer em Salvador, Ilhéus ou Itaparica, deslocar-se até Camamu e, depois, pegar um barco ou encarar um trecho de estrada de terra. Mas não se preocupe, porque esse cantinho da Costa do Dendê compensa pela beleza extraordinária, praticamente intocada. Inclusive, fique de olho na maré baixa: esse é o momento em que o oceano forma lindas piscinas naturais, principalmente durante épocas de lua cheia e lua nova.

O QUE FAZER NA PENÍNSULA DE MARAÚ

Praia Taipu de Fora - Península de Maraú - Bahia | Crédito: Shutterstock

Praia Taipu de Fora – Península de Maraú – Bahia | Crédito: Shutterstock

– Relaxar e mergulhar com o snorkel nas piscinas naturais da Praia Taipu de Fora;

– Dar uma volta pelas outras praias da região, como Taipu de Dentro, Ponta do Mutá, Algodões e Cassange;

– Percorrer o centrinho de Barra Grande;

Lagoa do Cassange - Península de Maraú - Bahia | Crédito: Shutterstock

Lagoa do Cassange – Península de Maraú – Bahia | Crédito: Shutterstock

– Mergulhar nas águas doces da Lagoa do Cassange e da Lagoa Azul;

– Explorar a região de um quadriciclo (e fazer a trilha das bromélias gigantes);

– Ver de pertinho o encontro do mar da Baía de Camamu com o Rio Carapitangui;

Ilha da Pedra Furada – Península de Maraú – Bahia | Crédito: Shutterstock

– Conhecer a extraordinária Ilha da Pedra Furada;

– Admirar a Costa do Dendê do Farol de Taipú;

Pôr do sol na Praia do Mutá – Península do Maraú – Bahia | Crédito: Shutterstock

DICA BÔNUS

UMA VEZ NA PENÍNSULA DE MARAÚ NÃO DEIXE DE…

visitar a Cachoeira do Tremembé, a única do país que deságua direto no mar. Nos passeios de lancha, um dos pontos altos costuma ser quando a embarcação vai até debaixo da cachoeira, refrescando e divertindo os visitantes. A vista é bem bonita e a oportunidade é ótima para tomar um banho meio doce, meio salgado.

DIFERENCIAIS QUE SÓ A PENÍNSULA DE MARAÚ TEM

Pôr do sol na Praia do Mutá

O crepúsculo é considerado o mais bonito da Bahia.

Piscinas naturais de Taipu de Fora

A água, em tons de verde-claro, é cristalina e supermorninha.

Cachoeira do Tremembé

A única do Brasil que deságua diretamente no mar.

Você já conhece a Península de Maraú? Então conta pra gente o que você achou, já que seu depoimento pode ajudar a esclarecer as dúvidas de outras pessoas. Agora, caso ainda não tenha tido a chance de conhecer o destino, a dica é consultar um agente de viagens, viu? Dessa forma você garante assistência do comecinho ao fim do passeio. 🙂

Fonte segueviagem.com.br

Rio reabre comércio e restaurantes; praias ainda não

Arcos da Lapa - Rio de Janeiro | Crédito: Alexandre Macieira / Riotur

Arcos da Lapa – Rio de Janeiro | Crédito: Alexandre Macieira / Riotur

Como anunciado na semana passada, a cidade do Rio de Janeiro inicia hoje a flexibilização das medidas restritivas que fecharam o comércio, bares, restaurantes e atividades turísticas.

Bares, restaurantes, serviços e comércio não essenciais estão autorizados a reabrir a partir de hoje (9) na cidade do Rio de Janeiro, depois de duas semanas fechados devido à pandemia de covid-19. Também poderão funcionar ambientes culturais e estabelecimentos de lazer.

Esses estabelecimentos considerados não essenciais terão, no entanto, restrições de horário para atendimento presencial ao público. Bares, restaurantes, lanchonetes e quiosques da orla, por exemplo, só poderão funcionar até 21h. Depois desse horário, só serão aceitos serviços de entregas, retirada de produtos do local e drive thru.

O comércio não essencial, em ruas ou shoppings, poderá abrir das 10h às 11h e os serviços, das 12h às 21h. Clubes sociais e esportivos terão de funcionar até 21h, com áreas de lazer e recreação, abrindo apenas a partir das 11h.

Teatros e cinemas do Rio

Ambientes culturais e estabelecimentos de lazer só poderão funcionar das 12h às 21h. São eles: museus, galerias, bibliotecas, cinemas, teatros, casas de festa, salas de apresentação, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil, parques de diversões, temáticos e aquáticos, pistas de patinação, atividades de entretenimento, visitações turísticas, exposições de arte, aquários e jardim zoológico.

Apesar da flexibilização, continuam suspensos o funcionamento de boates, danceterias, salões de dança e casas de espetáculo e a realização de eventos de qualquer natureza, festas e rodas de samba em áreas públicas e particulares.

A permanência de pessoas, a prática de esportes coletivos e o comércio continuam proibidos nas areias das praias, parques e cachoeiras.

Também continua proibida a permanência de pessoas nas vias, áreas e praças públicas do Rio no horário das 23h às 5h.

Fonte: Panrotas

Fonte segueviagem.com.br

Campos do Jordão ganha mirante 180º no Parque da Cerveja

Mirante Campos do Jordao

Mirante 180º fica dentro do Parque da Cerveja em Campos do Jordão | Crédito: Divulgação

A cidade de Campos do Jordão, localizada na região da Serra da Mantiqueira, em São Paulo, acaba de ganhar mais uma atração turística. A novidade é um mirante com vista 180º dentro do Parque da Cerveja. A construção, da década de 1960, tem 140 metros de altura e foi totalmente reformada para virar novamente um chamariz turístico.

6 lugares para passear no interior de São Paulo

O mirante conta com um quiosque que oferece, claro, todos os rótulos das cervejas e chopes produzidos em Campos, além de porções, petiscos e chás especiais.

Futuramente, o local estará disponível para pequenos eventos, sempre respeitando a capacidade máxima de pessoas permitidas na área.

Fonte: Panrotas

Fonte segueviagem.com.br

João Pessoa libera atividades na orla, com restrições

Joao Pessoa - Paraíba | Crédito: Divulgação

João Pessoa – Paraíba | Crédito: Divulgação

Diante das restrições em áreas públicas, a Prefeitura Municipal de João Pessoa anunciou um decreto que libera o uso da faixa de areia das praias e o banho de mar, bem como o uso da calçada para passeio e prática de atividades físicas/esportivas com limite de horário e sem aglomerações. Porém, continua proibida a utilização de barracas, cadeiras e consumo de bebidas alcoólicas, bem como estacionamento de veículos após às 16h.

De carro pela Região Nordeste

Bares, restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniência poderão funcionar das 6h às 22h, com ocupação de 30% de sua capacidade, podendo chegar a 50% com a utilização de áreas abertas. Fora desse horário, fica vedada a comercialização de qualquer produto para consumo dentro do estabelecimento.

A limitação de horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais não se aplica a restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres que funcionem no interior de rodoviárias, aeroportos, postos de combustíveis localizados nas rodovias.

O novo decreto também reabriu para a visitação pública dois atrativos turísticos de João Pessoa: o Parque Solon de Lucena (Lagoa) e o Parque Arruda Câmara (Bica), assim como as demais praças e parques públicos da cidade, o que permite a prática de atividades esportivas.

Para o secretário de Turismo de João Pessoa, Daniel Rodrigues, as medidas trazem um novo alento aos empresários do setor turístico, após duas semanas de atividades praticamente paradas em função do decreto anterior.

Fonte: Panrotas

Fonte segueviagem.com.br

7 motivos para visitar Fernando de Noronha

Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, o arquipélago de Fernando de Noronha é formado por outras 20 ilhas menores e rodeado por cenários praticamente indescritíveis. Um dos principais points turísticos de Pernambuco, a região abraça diversas áreas de proteção ambiental, praias, baías, enseadas, piscinas naturais e morros, presenteando seus visitantes com vistas de tirar o fôlego.

Ainda está na dúvida se o destino é a escolha certa para as suas férias? Então confira a seguir sete motivos que, com certeza, vão te ajudar a decidir! Spoiler: a vontade de viajar vai bater forte, mas no momento é importante que você se cuide e aproveite para planejar a sua próxima aventura.

1. PRAIAS E MAIS PRAIAS

Baía do Sancho - Fernando de Noronha | Crédito: Shutterstock

Baía do Sancho – Fernando de Noronha – Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Se tem uma coisa que é certa é que as praias de Noronha vão conquistar seu coração, assim como, bombar as suas redes sociais. Legítimos paraísos isolados, difícil mesmo é decidir qual é a predileta: a Praia do Cachorro, de fácil acesso, pode servir como primeira parada na viagem ao arquipélago; a Baía do Sancho, eleita a melhor praia do mundo pelo Tripadvisor Travelers’ Choice Award 2020; e Baía dos Porcos, tranquila e ideal para banho.

Ao mesmo tempo, a Cacimba do Padre tem faixa de areia larga e mar agitado, ideal para pegar ondas, enquanto a Praia do Atalaia atrai turistas na maré baixa, quando peixes e filhotes de tubarão podem ser observados em passeios de flutuação. Por fim, quem deseja conferir tartarugas marinhas de pertinho não pode perder a Praia do Sueste, que, por conta das algas, é ponto de alimentação dos animais.

2. A VIDA MARINHA DE FERNANDO DE NORONHA

Fernando de Noronha - Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Fernando de Noronha – Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Formado por 21 ilhas, o arquipélago é lotado de corais e o habitat de muitas espécies de animais marinhos. Prepare-se: tartarugas, arraias, moreias (espécie de peixe), lagostas e tubarões, por exemplo, são alguns dos animais que podem ser vistos durante um dos mergulhos. Ah, e claro que não podemos deixar de mencionar os golfinhos! Eles podem ser encontrados durante os tradicionais passeios de barco ou acordando bem cedinho para ir até o Mirante dos Golfinhos. Ou seja: se você é apaixonado por bichinhos, Noronha tem tudo para superar as suas expectativas.

3. MELHOR POINT DE MERGULHO NACIONAL

shutterstock 415546633

Fernando de Noronha – Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Dona de um mar perfeito para mergulho, a região de Fernando de Noronha tem barreiras de corais impressionantes e visibilidade que pode chegar a 50 metros na horizontal mesmo debaixo d’água. Apresentando opções de pontos de mergulho para profissionais e amadores, caso você nunca tenha praticado o esporte poderá contratar um instrutor. Contudo, este profissional o levará até no máximo 12 metros de profundidade.

4. PÔR DO SOL DIGNO DE FOTOS

Fernando de Noronha - Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Fernando de Noronha – Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Apreciar o pôr do sol é uma das suas atividades prediletas em viagens ecoturísticas? Pois Noronha têm diversos pontos perfeitos para conferir esse espetáculo natural como, por exemplo, as praias da Conceição e Cacimba do Padre ou alguns dos vários mirantes, como o do Boldró. Enfim, mantenha a câmera sempre em mãos, ok?

5. UM DIA NAS PISCINAS NATURAIS DE FERNANDO DE NORONHA

Fernando de Noronha - Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Fernando de Noronha – Pernambuco | Crédito: Shutterstock

O arquipélago conta com diversas formações rochosas que formam piscinas naturais durante o período de maré baixa. Inclusive, na Praia do Atalaia é possível aproveitar uma enorme piscina com poucos metros de profundidade e muitos filhotes de espécies marinhas. Mas atenção: é necessário agendamento prévio, pois o número de visitantes diários é limitado. Em outras palavras, Noronha é um destino que exige planejamento, combinado?

6. CONTATO COM A MÃE NATUREZA

 - Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Fernando de Noronha – Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Gosta de trilhas e contato direto com a natureza? Se a resposta for sim, Noronha é o lugar certo para a sua próxima aventura. Fora o contato com a vida marinha durante mergulhos de snorkel, o destino dispõe de várias trilhas que proporcionam momentos únicos em meio à bela flora local e conduzem a paisagens surpreendentes. Ou seja: se você procura por fotos extraordinárias, está no lugar certo.

7. CONFERIR OS FAMOSOS DOIS IRMÃOS DE FERNANDO DE NORONHA

Dois Irmãos - | Crédito: Shutterstock

Dois Irmãos – Fernando de Noronha – Pernambuco | Crédito: Shutterstock

Falar de Noronha sem citar um dos seus principais cartões-postais é impossível, certo? Duas rochas gigantescas, os célebres Dois Irmãos ficam em meio às águas azuis do oceano e contam com formatos bem similares. Se quiser a foto perfeita, o melhor local fica na Baía dos Porcos, de apenas 100 metros de extensão e cujas piscinas naturais ficam bem de frente para os Dois Irmãos.

E aí, bora embarcar rumo a esse destino nordestino impressionante? Então converse com o seu agente de viagens, crie o melhor roteiro e “noronhe-se”! Depois volte aqui para compartilhar sua experiência com a gente. Assim você ajuda (e inspira!) outros viajantes 😉

Fonte segueviagem.com.br

Rio começa a reabrir a partir de 9 de abril, sexta-feira

Copacabana e Leme Rio de Janeiro shutterstock 1504221245

Vista das praias de Copacabana e Leme – Rio de Janeiro | Crédito: Shutterstock

Enquanto alguns destinos já iniciaram a reabertura, caso de Pernambuco, e outros adiaram o movimento, caso de São Paulo, previsto para seguir na fase atual de restrições até 11 de abril, a cidade do Rio de Janeiro decidiu marcar para 9 de abril, próxima sexta-feira o início da reabertura do comércio e dos serviços. O decreto foi publicado na sexta-feira (02/04/2021) no Diário Oficial da cidade. As atuais restrições, com comércio e restaurantes fechados para atendimento presencial, continuam até quinta-feira, dia 8.

Os bares e restaurantes poderão voltar a atender presencialmente, mas somente até as 21h. Escolas também poderão retornar na próxima semana (já na segunda, dia 5) e o comércio poderá abrir até as 17h, incluindo shoppings. As praias continuarão fechadas, incluindo o comércio fixo e ambulante na orla e na areia.

De 9 de abril (sexta-feira que vem) até 19 de abril podem funcionar:
– serviços essenciais, com as mesmas regras atuais (estão inclusos farmácias, supermercados, mercados, pet shops com assistência veterinária, bancos e lotéricas, postos de gasolina, serviços de entrega em domicílio, construção civil, estacionamentos, serviços de limpeza, entre outros);
– bares e restaurantes até as 21h (clientes que já estejam no restaurante ou bar devem deixar o local até as 22h);
– clubes poderão abrir até as 21h;
– casas de festas, teatros, cinemas, parques temáticos, museus e atrações turísticas podem funcionar das 12h às 21h;
– comércio em geral das 10h às 18h e serviços das 12h às 21h;
– shoppings seguirão os horários do comércio e dos estabelecimentos de alimentação;
– praias continuam fechadas, sendo permitidos apenas esportes individuais (o mesmo para parques e ambientes abertos – esportes e aulas coletivas estão proibidas);
– serviços públicos não essenciais, das 8H às 17h;
– eventos sociais em geral, abertura de boates, feiras de arte ou de ambulantes e eventos corporativos, como feiras e congressos,estão proibidos.

Leia o decreto na íntegra.

Fonte: Panrotas 

Fonte segueviagem.com.br