Brasileiro busca apoio para tentar uma vaga em Tóquio

Atleta brasileiro Toin busca apoio
Foto: Divulgação Toin

Treinado pela esposa e educadora física, mas sem recursos financeiros, Toin chegou à cidade alemã em cima da hora e sem os equipamentos adequados para enfrentar as condições climáticas que surpreenderam os participantes da prova.

Atleta brasileiro Toin busca apoio
Foto: Divulgação Toin

“A maior dificuldade do atleta profissional é a falta de patrocínio, pois o custo de treinamentos e viagens é muito alto. As dificuldades que eu tive em Hamburgo começaram desde a programação, pois sem muito dinheiro eu tive que ir pelos meios mais baratos. Então, não pude levar a quantidade apropriada de roupas de frio. E quando cheguei em Hamburgo, a temperatura mudou e ficou muito frio, cerca de 1°C com chuva e vento. Por isso, literalmente congelei durante a prova. Quando cheguei ao quilômetro 35, não sentia mais as extremidades e quando cheguei ao quilômetro 38 desmaiei e acordei na tenda médica”, relembra Wilson. Ele acredita que se tivesse contado com uma logística mais planejada, o caminho para o índice olímpico já teria sido percorrido.

Atleta brasileiro Toin busca apoio para conquistar uma vaga em Tóquio

A história de luta, amor pelo esporte e superação do atleta tocantinense sensibilizou uma dupla de empresários paranaenses. Eles resolveram dar apoio para Toin buscar a vaga na equipe olímpica brasileira. “Quando conheci, por coincidência, a história do Toin na Maratona do Rio fiquei muito impressionado. Pois  meu objetivo era entrevistar o vice-campeão da prova e acabei ouvindo um desabafo de um atleta que estava triste por conhecer seu potencial e não ter os recursos necessários para lutar pelo seu sonho. Como corredor amador, aquele relato me sensibilizou”, conta Davi Xavier, corredor, YouTuber e sócio marca de produtos esportivos Insane Runners.

Atleta brasileiro Toin busca apoio
Foto: Focoradical

Para conseguir o índice para a Maratona de Tóquio 2020, Toin precisa fazer um tempo menor que 2h11min30 — ou seja, terá que baixar mais de seis minutos do seu atual recorde pessoal. É possível? Toin diz que sim. Então, para isso, os empresários resolveram patrocinar as viagens para aclimatação em altitude na Colômbia e toda estrutura de preparação nutricional e física. Agora, ele mira a Maratona de Hamburgo 2020 (que será em 19 de abril), a mesma prova que o fez quebrar no ano passado.

Além disso, uma camiseta com a hashtag #vaitoin foi criada para a arrecadar fundos para ajudar nos custos dos treinamentos do maratonista e pode ser comprada na loja da marca por aqui aqui.

Fonte runnersworld.com.br

Adidas lança tênis com placa de carbono

Adizero Pro
Foto: Divulgação Adidas

A marca esportiva Adidas anunciou ontem (12) seu mais novo modelo, o Adizero Pro. A novidade chamou a atenção de corredores e técnicos porque conta com a tecnologia Carbitex, uma placa de carbono multidirecional (assim como os modelos Vaporfly e Alphafly, da Nike) que promete a máxima propulsão. Ele estará disponível no país a partir do segundo semestre de 2020.

Leia mais  + Air Zoom Alphafly Next% é anunciado pela Nike
+ Corredor faz 50K em casa com medo do coronavírus
+ 5 alimentos, 5 receitas: como cozinhar com pouco

A linha Adizero já tem dez anos — e muitas quebras de recordes. Começou em 2008, em Berlim, quando o atleta etíope Haile Gebrselassie quebrou seu próprio recorde mundial na maratona (em menos de 2h04). Ele calçava o adizero Adios 1.

“A velocidade é incorporada ao nosso DNA. E com um histórico de inovar constantemente e oferecer os melhores produtos para atletas, queríamos trazer algo especial. É o auge da franquia Adizero e o calçado mais rápido da adidas. O que realmente nos dá orgulho é que os produtos que criamos não são destinados apenas para capacitar alguns, mas a todos. O que viram nos pés de atletas profissionais nos pódios da maratona de Nova York do ano passado e no Campeonato Mundial em Doha é exatamente o que os consumidores podem esperar ao adquirir um par. Velocidade, direto da caixa”, disse Alberto Uncini Manganelli, General Manager da adidas Running no comunicado oficial.

Adizero Pro: como ele foi feito

Adizero Pro
Foto: Divulgação Adidas

Mary Keitany (recordista na Maratona de Nova York 2019) teve um papel fundamental no desenvolvimento do novo tênis da linha. E recebeu a equipe de design da Adidas em seu campo de treinamento na cidade de Iten, no Quênia, para compartilhar ideais e impressões após treinos com o protótipo em corridas de 32 quilômetros em alta altitude (2.400m).

Além dela, outros profissionais referências no esporte testaram o modelo: Joyciline Jepkosgei, Amos Kipruto e Albert Korir.

Engenheiros e designers da Adidas também trabalharam com o mestre japonês em criação de calçados e parceiro da marca há 20 anos, Mr. Omori. Com o conceito “de dentro para fora”, ele aperfeiçoou a forma e as curvas do modelo para depois definir as escolhas de material e tecido, obtendo o melhor ajuste. A silhueta é uma releitura do Adizero Adios e foi atualizada para proporcionar ao corredor – independente da temperatura – conforto, suporte para movimentos intensos, amortecimento máximo e durabilidade.

Adizero Pro: características

  • Placa de carbono multidirecional Carbitex — oferece flexibilidade no toque com o solo, encaixe rápido para propulsão máxima e passos guiados para a economia de energia;
  • Lightstrike Boost — A nova entressola Lightstrike fornece amortecimento para movimentos intensos e velocidade duradoura. Com a tecnologia Boost aplicada no calcanhar;
  • Celarmesh de camada única — o mesh mais fino da Adidas, que deixa os pés totalmente livres;
  • Transição Quickstripe DPS e borracha Continental A leve sola de DSP fornece flexibilidade e durabilidade tanto no asfalto quanto na trilha, enquanto a borracha Continental de alto desempenho traz aderência em todas as condições climáticas e de solo.

Brasileiros que já testaram

Adizero Pro
Foto: Divulgação Adidas

O atleta Adidas e promessa brasileira Daniel Chaves já testou o tênis. “O destaque está na leveza do cabedal e a comodidade e propulsão do solado, deixando o tênis encaixado no pé e muito mais rápido, além de poder desenvolver uma passada constante devido a reatividade do tênis, primordial para longas distâncias”, afirmou no comunicado. O modelo foi o escolhido por ele para competir em seus próximos desafios.

Fonte runnersworld.com.br

Corredor faz 50K em casa com medo do coronavírus

Nesta semana, o maratonista chinês Pan Shancu foi notícia nos sites internacionais. Isso porque ele supostamente correu cerca de 50 quilômetros dentro de seu apartamento em Hangzhou, China, onde está preso devido a uma quarentena por conta do coronavírus. Pan, que está acostumado a correr regularmente, tem dado voltas ao pela casa para manter o treino em dia.

Leia mais 

+ Air Zoom Alphafly Next% é anunciado pela Nike
+ Nike oferece assessoria virtual para a Meia de SP
+ Caminhão atinge equipe de cross-country de colégio

Os cidadãos do país estão sendo aconselhados a ficar dentro de casa o máximo possível para evitar o contato com o vírus. O atleta, então, optou por praticar o esporte em seu apartamento minúsculo — mais especificamente em torno de duas mesas e ao longo e um corredor. Até agora, ele informou que já bateu quase 50K.

Segundo informações da imprensa local, Shancu, que tem um recorde pessoal na maratona de 2h59, deu aproximadamente 6.250 voltas em sua casa.

Maratonista chinês Pan Shancu faz 50K dentro de casa

Em uma postagem nas redes sociais, Shancu escreveu: “Eu estava sem treinar há muitos dias, mas não aguentava mais ficar sentado. Resolvi das voltas em torno de duas mesas de massagem que ficam na sala! Assim, uma volta tem cerca de oito metros e eu fiz 50K em 4h48min44. Estou suando muito e a sensação é ótima!”

O post Corredor faz 50K em casa com medo do coronavírus aparece primeiro no Runner's World Brasil.

Fonte runnersworld.com.br

Air Zoom Alphafly Next% é anunciado pela Nike

Air Zoom Alphaflt Next% é lançado pela Nike
Foto: Divulgação Nike

Menos de uma semana depois que a World Athletics impôs regulamentos sobre os tênis de corrida que podem ser usados em competições, a Nike finalmente fez o anúncio do Air Zoom Alphafly Next%. Apesar de muitos críticos terem discursado contra o modelo durante meses, ele está  dentro das regulamentações do órgão internacional.

Leia mais + Conheça o Nike Alphafly, o tênis proibido nas Olimpíadas
+ Confira os destaques dos lançamentos do mês na corrida
+ Kipchoge representará o Quênia nas Olimpíadas

A linha Alphafly é um mistério desde que Eliud Kipchoge usou o tênis para fazer uma maratona em menos de duas horas, em outubro do ano passado. Especulava-se que ele continha 3 placas de fibra de carbono, o que seria ilegal de acordo com as diretrizes oficiais.

Os corredores, contudo, estavam ansiosos para o anúncio do modelo. Embora seu design seja diferente do Air Zoom Vaporfly Next%, seu lançamento provavelmente gerará muita controvérsia, assim como o outro.

Alguns tênis da Nike têm dado o que falar desde que chegaram ao mercado em 2016. Nos últimos anos, as versões da linha Vaporfly evoluíram muito e estiveram nos pés de atletas que quebraram recordes mundiais. Um exemplo? Brigid Kosei, que bateu a melhor marca feminina em uma maratona, em Chicago, no ano passado.

O que sabemos sobre o Air Zoom Alphafly Next%

O tênis de corrida de longa distância contém uma única placa de fibra de carbono (ao contrário do que muitos pensavam), amortecimento ZoomX e pods de Zoom Air. Todas essas são atualizações do seu antecessor, o Nike ZoomX Vaporfly Next%. Ele também vem com um exclusivo cabedal chamado Atomknit.

Air Zoom Alphaflt Next% é lançado pela Nike
Foto: Divulgação Nike

A Runner’s World US ficou sabendo que o Alphafly já foi testado pela World Athletics. Ele não ultrapassa o limite de sola de 40mm e, portanto, pode ser usado em competições.

“A pesquisa inovadora feita para fabricar o Vaporfly gerou uma maneira totalmente nova de pensar sobre tênis de corrida”, disse Carrie Dimoff, uma maratonista de elite e membro da Advanced Innovation Team da Nike, em um comunicado à imprensa. “Depois que acertamos com a placa de carbono, começamos a pensar em maneiras de tornar o sistema ainda mais eficaz. Foi quando tivemos a ideia de adicionar o Nike Air para armazenar e devolver ainda mais energia de um corredor e fornecer ainda mais amortecimento.”

O Alphafly não estará sozinho, pois a Nike anunciou três outros sapatos na linha Next%: o Air Zoom Tempo Next% e o Air Zoom Tempo Next% FlyEase. Além de um tênis para as pistas, o Air Zoom Victory, destinado a distâncias mais curtas (800 a 10.000 metros).

O que não sabemos

A data de lançamento e quanto ele custará são um mistério no momento. Há rumores de que todos os tênis serão lançados ainda este ano, provavelmente antes dos quatro meses necessários para serem usados ​​nas Olimpíadas de Tóquio 2020. Atletas profissionais não poderão competir com protótipos após o dia 30 de abril.

Air Zoom Alphaflt Next% é lançado pela Nike
Foto: Divulgação Nike

A Nike disse à Runner’s World US que um número limitado estará disponível para os membros Nike Plus no dia dos testes da Maratona Olímpica, em 29 de fevereiro.

Fonte runnersworld.com.br